Aluno da UTAD vence Prémio Ibero-Americano Jovem Arquitecto Paisagista – 2010

http://borraodetinta.files.wordpress.com/2008/10/utad.jpg

Projecto propõe regresso da ruralidade a Vila Real

2010-04-07
Nélson Soares repetiu o feito de outros alunos da UTAD
Nélson Soares repetiu o feito de outros alunos da UTAD
Devolver à cidade de Vila Real a ruralidade, que ao longo dos tempos foi sendo perdida, através de um parque que, para além de pomares, vinhas e hortas, comporta um centro equestre foi a proposta do projecto que valeu ao jovem português Nélson Soares a vitória do Prémio Ibero-Americano Jovem Arquitecto Paisagista / 2010.

Este aluno do mestrado em Arquitectura Paisagista da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) foi assim declarado, pelo seu Projecto do Parque Equestre de Abambres (Vila Real), um dos melhores talentos, quer nacionais, quer do espaço ibero-americano.

Este concursointernacional, realizado pelo sétimo ano consecutivo pelo jornal Arquitecturas, pela Vibeiras e pela Urbaverde, é reconhecido pelo prestígio que lhe é conferido, tanto pelo número de participantes e pela singularidade, como pelo número de edições consecutivas e constituição do júri.

Tendo em conta o reconhecimento prestado a este concurso, Nélson Soares confessou ao “Ciência Hoje” sentir-se muito satisfeito com a distinção que lhe foi concedida. “Foi muito importante a nível pessoal e curricular [ter ganho o concurso]. É um trunfo no curriculum e, mesmo para a academia, é bom. Afinal, trata-se de uma competição ibero-americana e pelo menos algum rigor e prestígio terá”, sublinhou o jovem de 25 anos.

Orientado por Frederico Meireles Rodrigues e Laura Costa, docentes da UTAD, o projecto de Nélson Soares propõe um prolongamento do parque da cidade de Vila Real para a zona de expansão urbana, que abrange a área de Abambres, de forma a “trazer de novo as actividades rurais para o centro da cidade”, revelou o mestrando de Arquitectura Paisagista.

Recuperação da ruralidade

Projecto do parque concebido por Nélson Soares (clique  para aumentar)
Projecto do parque concebido por Nélson Soares (clique para aumentar)

De acordo com a sinopse do projecto, há uma “necessidade de intervenção no espaço público na cidade de Vila Real, nomeadamente a criação de um parque urbano com ligação ao existente Parque Corgo e a requalificação das suas frentes urbanas”.

Com este projecto, as respostas a estas necessidades são dadas, sobretudo através da devolução da ruralidade e da actividade equestre disponibilizada pelo parque. “Há pessoas da cidade que sentem falta das actividades rurais que se estão a perder no centro de Vila Real, pelo que a construção deste parque seria importante para combater a evolução que a cidade está a sofrer com a construção de prédios e mais prédios”, enfatizou o aluno da UTAD.

Quanto à temática equestre conferida a este parque pelas pistas de competição para provas internacionais e passeio a cavalo e pelo centro equestre, Nelson Soares encara-a como um “chamariz” e uma “fonte de sustentabilidade para o espaço”, na medida em que a utilização destas instalações seria cobrada.

Para além disto, este parque teria outros espaços de lazer, como café, restaurante, uma torre de observação localizada no centro do parque, uma zona de merendas junto às hortas, pomares, vinhas, entre outros.

UTAD “revalida” títulos

Pormenores do projecto (clique para aumentar)

Pormenores do projecto (clique para aumentar)


Esta vitória de Nélson Soares não foi pioneira no que concerne a discentes da UTAD, visto que já no ano passado Sérgio Pinto (recém-licenciado da academia transmontana) e Rita Salgado (ex-aluna da mesma instituição) foram os vencedores deste concurso nas categorias de “Jovem Profissional” e “Sénior”, respectivamente.

Relativamente aos outros galardoados nesta edição, destacam-se a menção honrosa atribuída à brasileira Lisandra Casagrande, da Universidade de São Paulo, pelo projecto “O Ouro como Estrutura Urbana”, na categoria destinada a jovens menores de 35 anos, assim como o “Projecto de Recuperação da Paisagem Pedreira da Madalena, em Vila Nova de Gaia”, da autoria de Cláudia Gomes, Marlene Soares, Rui Carvalho e Sílvia Gomes (Faculdade de Ciências da Universidade do Porto), que ainda que não tenha sido premiado, foi exposto entre os trabalhos destacados.

Já na categoria “Jovens Profissionais”, a equipa de Boaventura Afonso, Marta Afonso, Beatriz Duarte e Tiago Moura consagrou-se vencedora com o projecto “Ampliação do Porto de Aveiro”, sendo que Miguel Carvalho tornou-se o detentor de uma menção honrosa pelo trabalho “Espaço Transcultural – Envolvente da Igreja Matriz de Loulé”.

In Bio Terra


Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s