A autora …

Este blog pretende ser um local onde se :

– registam apontamentos informais de doutoramento;

– uniformizam e clarificam ideias e conceitos;

– registam dados importantes acerca de investigação;

– comunicam, trocam ou partilham ideias sobre a área em questão.

A Autora, RS
_________________________________________________________________

2828771

__________________________________________________________________________

– O Rei! disse ofegante.- Nem vos vi. Que fazeis aqui?
– O mesmo que vós, cavaleiro: procuro a porta.
O cavaleiro olhou de novo à sua volta.
– Não vejo nenhuma porta.
– Só podemos realmente ver depois de compreendermos – disse o rei. – Quando compreendermos o que está nesta sala, conseguimos avistar a porta que dá acesso à sala seguinte. (Fisher: 2004:39)


__________________________________________________________________________

Razões para (não) escrever uma tese

1. Se gosta de passar os dias com dores nas costas, o pescoço a ranger, os olhos pesados e metida(o) durante a maior parte do dia entre quatro paredes,  matricule-se num curso de doutoramento.
2. Se vai ao cabeleireiro uma vez por ano, ao cinema quando o rei faz anos e partilha momentos com os amigos quando o trabalho o deixa, está no caminho certo. Faça parte desta comunidade. Esperamos por si. Sempre pode desabafar por aqui.
3. Se abomina o dolce fare niente, a leitura de um bom livro, as conversas com os vizinhos, encontrou o hobby perfeito. Fazer uma tese.
4. Se quer sentir-se a leste da vida, do mundo, dos acontecimentos, dedique-se a estudar um só assunto. Mas não espere que alguém esteja disposto a falar consigo sobre o mesmo. Porque o assunto não interessa a ninguém, só a você.
5. Se já concluiu um mestrado e agora anda às voltas com a tese de doutoramento, desculpe lá a minha impertinência, mas não sabe que a vida são dois dias e o Carnaval três?
6. Se nota que tem um “pneuzinho” mais saliente, uma vontade imperiosa de comer uns docinhos enquanto acompanha a dita “escrita”, não se preocupe. Afinal ninguém a(o) tinha avisado que ia deixar de ter tempo para ir ao Health Club. Só lhe resta umas caminhadas, mas tenha atenção que tem que estar de olho no relógio porque o tempo passa a correr. A caminhada não.
Ainda arranjava mais umas coisitas para acrescentar… mas depois ainda podem pensar que fazer uma tese is a piece of cake.

Publicada por Glicéria Gil em VOLTAS

__________________________________________________________________________

8586

O Projecto de tese doctoral

Construnido a tese

“Cuando leí ese pequeño cómic me hizo mucha gracia.
Es increíble la cantidad de ideas poco ajustadas a la realidad que se llegan a tener con respecto al proyecto de tesis.
La selección, redacción y afrontamiento del proyecto de tesis en general es uno de los aspectos más importantes si se quiere finalizar el proceso de doctorado y convertirse en doctor.
Durante muchos años existía en mi cabeza un proyecto de tesis.
A mí me parecía interesantísimo y por supuesto muy fácil de realizar. Afortunadamente, topé con una dirección con mucho más sentido común que yo. Ella se ha encargado de enseñarme muchas cosas, de mostrarme caminos.
Gracias a ella, a su pragmatismo y a su sentido común pude reconducir mi proyecto hasta hacerlo factible.
Mi directora siempre me dice que los estudiantes de doctorado nos creemos que una tesis doctoral es mucho más de lo que realmente es.
Y que de hecho somos nosotros mismos los que nos complicamos la vida.
Cuando ella ha visto que yo me metía en un atolladero complicado ha sabido siempre sacarme de ahí y enseñarme cosas importantes.
¿Qué he aprendido respecto del proyecto de tesis?:

1. El proyecto de tesis debe ser realista, es decir, se tiene que poder llevar a cabo. Esto que parece una perogrullada no lo es en absoluto.
Siempre se dice que el papel es muy sufrido y así es.
Hay cosas que papel pueden parecer fantásticas pero que en realidad son irrealizables.
2. Lo más lógico es realizar una tesis doctoral sobre el ámbito en el que ya se está ejerciendo.
Esto facilitará muchísimo las cosas.
3. Hay que pensar seriamente sobre la muestra real a la que se tendrá acceso… y sobre ella se debe pensar un proyecto de tesis.
De nada sirve pensar un fantástico proyecto basado en una muestra a la que de ningún modo podremos tener acceso.
Eso os impedirá terminar la tesis doctoral.
4. Se tiende a pensar, especialmente los estudiantes de doctorado, que les tesis doctorales deben ser enciclopédicas.
Esto no es cierto en absoluto.
Como vengo diciendo cada vez se valora más la concreción, la síntesis, la simplicidad, el ir al grano.
En este sentido es mejor realizar un pequeño proyecto pero bien fundamentado y bien ejecutado que no un tocho.
5. De todos modos, todo lo anterior vendrá muy marcado por las pautas y actitud de la dirección de tesis que tengamos.
En este sentido reconozco que yo he tenido mucha suerte.
6. Mi dirección siempre me dice: “de momento haz la tesis y conviértete en doctor, luego ya investigarás en lo que tú quieras“.
Me parece un fantástico consejo.

Yo, que soy un poco dado a la filigrana, me las tengo que ver con una dirección que no para de decirme “o sintetizas o no avanzamos“.

No sabe cómo se lo agradezco”.

Daqui …

____________________________________________________________________________________________

Por uma questão de boas práticas (de educação, claro)

deixocomentario1wg1.gif

Mas se não houver disponibilidade, está desculpado(a) …

OBRIGADA!

Anúncios

10 Respostas para “A autora …

  1. DOCTORICES “um blogue chiquérrimo”
    Pleno de azul suave como convem a uma dissertação convincente no ramo das Ciências da Educação.
    Cá estaremos!

  2. Se será chiquérrimo ou não não sei avaliar mas que poderá dar algum jeito como “armazenamento cognitivo” isso interessa-me …
    Gostava que o tom de azul pudesse ser mais escuro (azulão) que é o tom de azul preferido….
    Obrigada pelos comentários, Alexandre e cá estaremos, RS!

  3. Já vi no blogroll 🙂
    Obrigada 🙂

    Agora é só ires cntando como as coisas estão a correr…

  4. Espero o mesmo da tua parte, Ana,
    Obrigada pela visita e comentário. beijinhos, RS.

  5. Votos para que o blog atinja os objectivos propostos e que lhe sirva e aos seus leitores (nos quais me incluo) como uma ferramenta útil na elaboração da tese. Bom trabalho!

  6. Olá Glicéria (bonito nome) Gil, bem vinda e bom trabalho também para ti! RS. bjinhos.

  7. Parabéns pelo blogue, e boa sorte nessa sua aventura.

  8. Parabéns também pelo seu (Aprender e Ensinar).
    Gosto de passar por lá, de vez em quando, RS.

  9. Muito interessante e parece-me um trabalho árduo a que se propõe, mas com estes esforços que se conseguem estabelecer bons contactos para novos projectos. Parabéns.

  10. f1234, obrigado pelos comentários.
    Volte sempre!RS

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s